Título: Formação de Educadores de Jovens e Adultos: Um Olhar Reflexivo para o Desenvolvimento e o Aperfeiçoamento da Prática Docente no Município de Matina-BA
Autor(es): Duques, Maria Luiza Ferreira
Palavras-chave: Formação de educadores
Práticas docentes
Data do documento: 2015
Resumo: A educação de jovens e adultos é um campo de práticas que transcende os limites da escolarização em sentido estrito já que ela abarca processos de formação diversos. No contexto em que nos inserimos, pensar na formação do educador de jovens e adultos requer um olhar atento sobre a prática educativa e a formação inicial e continuada desses educadores, uma vez que não é possível prosseguirmos com o improviso nos processos formativos de jovens e adultos, produto da fragilidade da formação destinada à modalidade. Neste sentido, este estudo teve como objetivo investigar as necessidades formativas dos educadores da EJA do município de Matina, Bahia, a fim de desenvolver ações que contribuam para a melhoria da qualidade dos processos formativos de educadores e educandos. Para referendar o estudo, dialogamos com Freire (1977), (1996), (2001), (2005), (2007); Gadotti (2003); Ireland (2013); Torres (2009); Haddad e Di Pierro (2000); Amorim (2007); Machado (2000), (2001); Moura (1999), (2006); Soares (2006), (2007), (2009); Arroyo (2005), (2001); Charlot (2008); Tardif (2002); Pimenta (1999); Nóvoa (1992); Ventura (2012), dentre outros. A investigação se pautou na abordagem qualitativa com delineamento no estudo de caso. Para coleta e produção de dados, lançamos mão da observação com registro em diário de campo e de entrevista semiestruturada com 08 educadores e 06 gestores da educação municipal que atuam junto à EJA. Para tratamento dos dados, recorremos à análise de conteúdo. O estudo revelou que os educadores, que em sua quase totalidade, possuem Licenciatura em Pedagogia, evidenciaram as carências formativas com foco nas especificidades da EJA durante seus cursos de graduação. Todos os participantes da pesquisa são efetivos no serviço público e possuem uma extensa jornada de trabalho semanal, intensificada pelo fato de que todos os educadores da EJA são, também, professores do ensino regular. Diante das dificuldades de atuação junto à EJA, os educadores revelaram que suas maiores necessidades formativas são necessidades relacionadas à prática docente; aos próprios educadores; à gestão da escola de EJA; ao currículo e à formação continuada, sendo que as necessidades correlatas à formação continuada foram enfatizadas como o maior empecilho para o desenvolvimento do trabalho na EJA. Percebemos que existe uma estreita articulação entre a formação dos educadores, a prática desenvolvida nas classes da EJA e as aprendizagens dos educandos. As necessidades formativas dos educadores implicam práticas ainda pouco articuladas às especificidades da EJA, o que conduz a uma limitação nas aprendizagens dos educandos. Os apontamentos do estudo indicam que incidir os olhares sobre a formação dos educadores, com propostas e ações concatenadas aos preceitos da modalidade, significa melhorar a qualidade da educação ofertada em EJA e, consequentemente, promover a melhoria das condições de escolarização e de vida dos educandos. Para isso, faz-se urgente a instituição de políticas públicas para a EJA, pois, apesar de todas as dificuldades vivenciadas, os educadores, diante de todas as limitações, ainda buscam individualmente ou de forma coletiva, os subsídios possíveis para a formação e para o desenvolvimento das práticas. É preciso, portanto, respeitar o trabalho desses educadores, pois eles se fazem educadores da modalidade e, por suas próprias experiências e práticas, constroem a docência na Educação de Jovens e Adultos.
URI: http://www.saberaberto.uneb.br/jspui/handle/20.500.11896/643
Aparece nas coleções:Programa de Pós-Graduação em Educação de Jovens e Adultos (MPEJA)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Maria Luiza Ferreira Duques.pdf2,07 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir