Título: Classes Hospitalares e Dispositivos Móveis Digitais: possíveis ressignificações de práticas educacionais
Autor(es): Neves, Isa Beatriz da Cruz
Palavras-chave: Classes hospitalares
Dispositivos móveis digitais
Data do documento: 2016
Resumo: A presente tese teve o objetivo de analisar as interações dos professores que lecionam nas classes hospitalares de Salvador-Bahia com os dispositivos móveis digitais (celulares, smartphones, tablets, etc) e compreender como estas experiências tensionam seus processos de formação e ressignificam suas práticas educacionais. Para tanto, adotamos a abordagem qualitativa e nos baseamos nos referenciais epistemológico e metodológico da pesquisa-formação e da abordagem multirreferencial. Recorremos, também, aos referenciais teóricos sobre as classes hospitalares e a respeito do contexto atual, no qual os dispositivos móveis digitais estão inseridos. O questionário semiaberto, observação participante, entrevista semiestruturada e o diário de campo foram dispositivos utilizados nessa pesquisa-formação, desenvolvida ao longo do curso de extensão “Dispositivos móveis nas classes hospitalares e domiciliares”, realizado na Universidade do Estado da Bahia (UNEB), durante os meses de janeiro a junho de 2014. Nesse contexto formativo, incentivamos tanto as reflexões teóricas concernentes à integração dos DMD na educação como a atuação prática dos professores das classes hospitalares da Secretaria Municipal de Educação de Salvador-Bahia (SMED), mediante as interações com diferentes aplicativos (Photo Grid, Video Show, Vine, Fxguru, Colar Mix, Cartoon Câmera, Color Splash Photo, Qr Barcode, etc) e jogos digitais (Shift Lite, Angry Birds, etc). A constituição dessa interface formativa teórico-prática foi possível graças à criação de oficinas formativas de produção (fotografia, vídeo, história em quadrinhos (HQ), comics, jogos digitais, dentre outras) nas quais os professores tiveram a oportunidade de aprender-fazendo. A partir da análise dos relatos antes, durante e após o processo formativo, foi possível constatar a emancipação digital dos atores/autores sociais, principalmente devido à diminuição do medo dos professores em interagir com os DMD, a adoção de uma postura crítica e de mais segurança para propor atividades educativas mediadas pelos DMD nas classes hospitalares e mudanças de atitudes cotidianas ressignificadas, mediante as interações com os DMD.
URI: http://www.saberaberto.uneb.br/jspui/handle/20.500.11896/522
Aparece nas coleções:Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade (PPGEDUC)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese Isa Beatriz.pdf4,42 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir