Título: Escola do campo e a organização do trabalho pedagógico: leituras das relações com a mineração no assentamento Nova Esperança
Autor(es): Carvalho, Danillo Eder Pinheiro
Palavras-chave: Agroecologia
Educação do campo
Matriz formativa
Organização do trabalho pedagógico
Data do documento: 29-Nov-2021
Resumo: O presente trabalho visa identificar e analisar as principais alterações pedagógicas que ocorreram na Escola Municipal do Assentamento Nova Esperança, em Cansanção, Bahia, após a ocorrência da instalação da empresa exploradora de Minério Yamana S/A, e as implicações na construção do trabalho pedagógico articulado à Educação do Campo. O Assentamento fica localizado na divisa entre os Municípios de Santaluz e Cansanção – BA. Indaga-se acerca do que foi feito do trabalho pedagógico a partir da instalação da mineradora nas proximidades da comunidade assentada e em que medida os impactos ambientais e sociais das atividades de exploração de minério, podem subsidiar aspectos da organização do trabalho pedagógico no âmbito da sala de aula e do Projeto Político da Escola do Campo. Os pressupostos teóricos que fundamentam a pesquisa são: Caldart (2012), Ferreira (2015), Freitas (1994), Molina & Sá, (2012), Frigotto (2010), Freire (2019). O lócus é a Escola Municipal Assentamento Nova Esperança. De natureza qualitativa, com abordagem na forma participante/ação, utilizará como instrumento metodológico a correspondência de Cartas Pedagógicas cujo objetivo é estabelecer um diálogo horizontal sobre as transformações ocorridas no trabalho pedagógico desde a instalação da referida empresa na região. Igualmente, utilizou-se o questionário para levantamento das informações mais gerais sobre as participantes. A intervenção ocorre por meio da realização de curso de extensão para docentes que atuam na escola pesquisada. Este, focaliza a leitura da/na e sobre a docência; o estudo da história, concepções e princípios da Educação do Campo; igualmente, pautará as matrizes formativas na perspectiva de Caldart (2012), quais sejam: o trabalho, a luta social, a organização coletiva, a cultura e a pedagogia da história; e a agroecologia como contraponto ao avanço do agronegócio. Objetiva-se ao final do curso de extensão a publicação de um e-book a partir das experiências e dos trabalhos desenvolvidos pelas docentes na escola do assentamento ao longo do curso, de modo que o pensar, construir, executar e avaliar ocorram em paralelo à formação das docentes. O estudo identifica a importância da escola municipal no assentamento numa relação de identidade e de contribuição histórica para a comunidade. Assim como, aponta também para a ocorrência de alteração incipiente na atividade pedagógica e uma origem ainda embrionária na utilização de processos formativos que envolvem a educação do campo. Evidencia a invisibilidade de temas como sustentabilidade, agroecologia e agricultura familiar nas políticas públicas do Município de Cansanção no que tange à Educação e ressalta a necessidade de cumprimento da legislação vigente na municipalidade, em especial o Plano Municipal de Educação. Por fim, conclui-se que a ação da mineradora impactou diretamente a vida da comunidade assentada com a fragilização das relações sociais, culturais e econômicas, configuradas ainda pela omissão do próprio Estado e que se faz urgente o apoio estrutural, didático-pedagógico às escolas do campo e à formação docente para o fortalecimento de processos educativos que contribuam efetivamente para uma educação de perspectiva integral, interdisciplinar e críticoemancipadora.
URI: http://hdl.handle.net/20.500.11896/2538
Aparece nas coleções:Pós-graduação Stricto Sensu (Mestrado Profissional) em Educação e Diversidade (MPED)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertacao_Danillo_Carvalho.pdf1,17 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir